Bon Appétit

A expressão acima vem do francês e sua tradução é bem conhecida: “Bom Apetite”. Ao dizer “bom apetite” no início de uma refeição, você está desejando à pessoa que se satisfaça com os alimentos previamente preparados, que aprecie com o maior prazer possível e que tenha uma boa digestão.

Na cozinha há os preparativos necessários: os ingredientes e combinações com um toque de habilidade. Tudo tem que ficar ao ponto – o tempo de cozimento, a temperatura do forno, a quantidade de sal, os condimentos necessários, etc. Ao final de todo esse trabalho, deseja-se que a pessoa que venha degustar de toda essa culinária tenha realmente um bom apetite, pois foi preparado com este intuito. Caso a pessoa tenha se satisfeito com qualquer outra coisa, não apreciará tudo aquilo que foi preparado com tanto trabalho e dedicação.

Na vida cristã, temos o alimento espiritual preparado por Deus para o nosso crescimento na fé. O pão espiritual (João 6. 31 a 35) nutre a nossa alma. Sem esse alimento, qualquer cristão sofrerá de inanição. Falamos da Revelação Especial, das Sagradas Escrituras. registradas divinamente para o bem dos filhos de Deus. Na Bíblia Sagrada encontramos o alimento suficiente para manter nossa alma viva, a esperança acesa e a fé inabalável. Caso a pessoa esteja digerindo conteúdo não expresso na santa Palavra de Deus ou em fontes duvidosas, com certeza, não apreciará nem se satisfará com Aquilo que foi preparado por Deus com tanto amor e bondade.

Nesse sentido, o apóstolo Paulo exortou os cristãos do primeiro século da era cristã: “Desejai ardentemente, como crianças recém-nascidas, o genuíno leite espiritual, para que, por ele, vos seja dado crescimento para salvação” (1 Pedro 2.2). A necessidade da leitura e do estudo da Palavra é imprescindível para o desenvolvimento da fé cristã. O crescimento espiritual não termina nessa vida. Para sair da imaturidade religiosa é premente a recomendação de Pedro: “antes, crescei na graça e no conhecimento de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo” (1 Pedro 3.18).

Deus quer que continuemos a crescer. Portanto, é necessário mais que leite. É preciso comida sólida (1 Coríntios 3.2). Está na hora de assumirmos nossos compromissos e dar o melhor de nós mesmos nesse processo de amadurecimento. Como? Envolvendo-se com a leitura da Palavra, participando das reuniões de oração, absorvendo e refletindo nas aulas da Escola Dominical e ouvindo a exposição da Palavra nos cultos dominicais.

Parafraseando o chamado de Deus a Abrão (Gênesis 17) com um toque de modernidade, diríamos: “sai da tua casa, deixe a tua poltrona, desligue a tua televisão e vá para a casa de Oração. E tenha um bon appétit!”.

 

Rev. Célio Gomes de Azevedo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *