Brincando com Coisa Séria

“Não se deixem enganar: de Deus não se zomba”

(Gálatas 6.7)

.

Antes de começar uma entrevista com a empresa norte-americana, em 1984, foi pedido ao presidente dos Estados Unidos Ronald Regan que testasse o microfone. E ele ao fazê-lo disse que dentro de cinco minutos começaria um bombardeio que varreria a Rússia do mapa. Tudo não passava de uma brincadeira. Mas, essa gafe ao testar o som do microfone não só vazou como se tornou manchete na imprensa mundo afora, e só serviu para aumentar a tensão nas relações entre os Estados Unidos e a Rússia.

.

A palavra mal empregada pode trazer grandes consequências como: ira (Provérbios 5.1), criar discórdia e inimizade, manchar reputação, arruinar relacionamentos, espalhar contendas, esquentar os ânimos e até mesmo causar a guerra. Tiago, em sua epistola, diz que a língua é um pequeno órgão, mas põe em brasas uma floresta, porque é fogo, mundo de iniquidade e carregada de veneno mortífero (Tiago 3. 5 a 7). Coisas ruins podem acontecer através das palavras, ainda que faladas em tom de brincadeira. Daí, a importância de não brincar com coisa séria!

.

Um agravante ainda maior é quando as pessoas brincam com as coisas espirituais, com as coisas de Deus ou com o próprio Deus. Sem qualquer pudor proferem palavras insultuosas e piadas blasfemadores contra o Senhor por puro divertimento ou brincadeira. Pior ainda quando essas pessoas se dizem cristãs aderindo ao comportamento profano com a maior naturalidade.

.

Muitos estão levando a vida cristã na brincadeira. Isso pode ser notado pela vulgaridade das roupas que usam, pelas palavras fúteis que pronunciam seus lábios e pelo modo escandaloso com que agem. Vale lembrar que a ordem de Deus que sejamos “santo” (Êxodo 22.31); é ordem de nosso Senhor Jesus que sejamos sal da terra e Luz deste mundo (Mateus 5. 13 a 16). Além do mais, o terceiro mandamento é categórico ao dizer que o Senhor “não terá por inocente o que tomar o Seu nome em vão” (Êxodo 20.7). E o próprio Jesus ensina na Oração do Pai Nosso (Mateus 6.9) que o nome de Deus tem que ser santificado por todos!

.

Assim, é inadmissível qualquer brincadeira que envolva pessoa de Deus em questão. Não compactue com brincadeiras que gracejam do ser de Deus. A Ele, toda criatura deve maior respeito, reverência e honra! As brincadeiras precisam ser mantidas sob supervisão e a língua sob orientação para não desonrarmos Aquele que é três vezes santo (Isaías 6.3). Oremos como fez o salmista numa clara alusão de que não deve se brincar com coisa séria: “Põe guarda, Senhor, à minha boca; vigia a porta dos meus lábios” (Salmos 141.3)

.

Rev. Célio Gomes de Azevedo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *